Arquivo da tag: Foursquare

Retrospectiva 2011

Retrospectivas são sempre retrospectivas. Por isso, vamos ao que de melhor aconteceu aqui no blog em 2011. Esse ano vai ser marcado pela chegada definitiva do Facebook ao Brasil e o aparecimento do Google Plus. A plataforma de distribuição de conteúdo do Google que promete “imitar” a forma como nos relacionamos com as pessoas na vida real. Mas, teve mais aqui no Me Emblogando. Confere aí!

Foursquare

O post sobre o uso do Foursquare para empresas foi uma dos mais lidos no blog e também um dos que mais me deixou feliz esse ano. Muitos profissionais de hotelaria despertaram para essa possibilidade de relacionamento com seus clientes e me enviaram e-mails pedindo contato com o Foursquare.

Miso

Na linha do Foursquare, mas com checki-ins televisivos, o Miso apareceu e mereceu um post aqui no blog. Hoje, confesso que uso mais o Get Glue, mas essa ideia de dar check-ins em atrações, seja na TV ou em um cinema é muito válida.

A polêmica promoção do Camiseteria

É pública a minha admiração pelo trabalho do Camiseteria. Mas, esse ano, na minha opinião a empresa pisou feio na bola, canibalizando uma promoção que rolava em outro blog e distribuia prêmios de uma marca concorrente. Se você quer mais detalhes dessa história toda – a discussão foi para até no Facebook – dá uma lida no post e me diga o que acha.

Um papo sobre música e mídias sociais

Ainda esse ano, entrevistei aqui o líder da banda Bleffe, Christian Garcia. Na ocasião, falamos sobre a promoção que colocou fãs da banda (eu tô lá) na capa do CD dos caras. Christian é humilde e diz que está aprendendo sobre mídias sociais. Eu acho que ele bate um bolão e utiliza duas das armas mais poderosas do meio: a sinceridade e a relevância.

Mesmo que você não seja um grande, monitore o que falam sobre sua empresa

Outro post de razoável procura – esse mercado ainda deve evoluir nos próximos anos no Brasil – foi sobre dicas de monitoramento para pequenas e médias empresas. Nele, eu falo sobre ferramentas gratuitas que podem ajudar muito no relacionamento com consumidores, podendo mudar a forma como essas empresas se comunicam na web.

Redes sociais acordam para os pequenos e médios também

O Facebook lançou esse ano um programa de anúncios para pequenas e médias empresas. O Me Emblogando falou sobre isso. Apesar de as redes sociais serem realmente uma forte tendência no comércio online, lembro sempre a importância de ser dono do próprio conteúdo.

E chegou o Google+

Acredito muito no Google+ e na ideia de que ele será mais  que simplesmente um rede social. Tanto que fiz três posts sobre ele. O primeiro apresentando a rede a quem ainda não a conhecia(ce). O segundo, sobre dicas do Google Plus para empresas. E no terceiro eu falo sobre um hangout que participei com Chris Brogan, autor de um dos primeiros livros sobre o G+.

Quero desejar um grande 2012 pra você que leu um post aqui, ou enviou um link do Me Emblogando a um amigo, ou me retwittou em algum momento. Que no ano que vem os CEO’s estejam mais atentos às redes sociais ainda. A prova de que isso dá certo foi o Prêmio Aberje 2011 vencido pelo case do MetrôRio. Diminuir o tempo de resposta ao cliente é meio caminho para melhorar o relacionamento, ganhar a confiança do consumidor e vender mais.

Te vejo em 2012.

Feliz Ano Novo!

 

Os 5 erros mais comuns das empresas no Foursquare

Embora ainda seja uma rede desconhecida da maior parte dos brasileiros que gravitam no mundo das mídias sociais, o Foursquare continua a conseguir novos adeptos. Atualmente, são 9 milhões de pessoas fazendo checkins no mundo e cerca de 250 mil empresas que já são donas das suas “venues” (estabelecimentos no Foursquare).

As empresas começam a prestar atenção ao potencial da ferramenta, mas cometem erros no seu uso. Recentemente, vi uma ação na rede propondo que os clientes de casa noturna respondessem a uma promoção na seção “tips” (dicas). Essa parte do site é como uma ouvidoria para os comerciantes e não deve ser usada para outros usos.

O site Mashable levantou os cinco erros mais comuns que as empresas cometem no Foursquare. Na verdade, como os americanos estão mais acostumados à rede, o artigo do Mashable trata do uso da ferramenta por donos de pequenos negócios. Mas, acho que vale para grandes e médias empresas também, já que  por aqui todos ainda estão engatinhando no uso das promoções e outras características.

1. Promoções muito complicadas

Um checkin e uma dica já bastam. Criar promoções – os chamados “Specials” – no Foursquare deve ser uma forma de atrair clientes, não afastá-los. A ideia é fazer o simples. Há sete maneiras de se criar “specials”. É só escolher a que mais se adequa ao seu negócio e criar as promoções.

2. Desconhecimento dos funcionários sobre o Foursquare

De que adianta promover seu negócio no Foursquare se os seus funcionários nem sabem o que é o Foursquare? Ao criar um “special”, você pode imprimir flyers para empregados e clientes. Assim, todos saberão que o seu estabelecimento tem uma promoção na rede de geolocalização.

3. Não usar o painel do Foursquare

Se você já é dono da sua “venue” e ainda não analisou o seu painel do Fourquare, pode estar perdendo grandes oportunidades de fidelizar clientes. No painel, você tem acesso a informações sobre o percentual de homens e mulheres que fazem checkins no estabelecimento, o número de checkins feitos por dia, a idade de quem faz os checkins – importantíssimo se você trabalha com grupos etários etc. Lembre-se da frase: você não pode gerenciar o que não pode medir.

4. Criar muitos “specials

Promoções são, como diz o nome, uma maneira de promover seu negócio. Elas não são permanentes. Da mesma forma que seus clientes sentem falta dos “specials”, eles podem se cansar e parar de prestar atenção às promoções que você criar.

5. Não indicar que o local está no Foursquare

É muito fácil mostrar aos clientes que o seu estabelecimento está no Foursquare. Adesivos podem ser conseguidos no site e todos saberão que você está ligado no que seus clientes dizem sobre o seu negócio no Foursquare. Assim como as bandeiras de cartões de crédito anunciam que tipos de cartões são aceitos em um restaurante, por exemplo, porque não mostrar aos seus cliente que o seu comércio é antenado com o mundo digital e ganhar com isso?

Miso – o Foursquare da TV

Essa semana, vi um tweet da minha colega Bianca Leão e fiquei curioso com o conteúdo. Era uma tuitada sobre o que ela estava assistindo naquele momento. Na verdade, a Bia estava dando um checkin em um programa de TV!!! Isso mesmo, amiguinhos! Pesquisei um pouco mais e descobri que aquele tweet vinha do Miso, o Foursquare da TV.

O objetivo do Miso é disponibilizar uma plataforma que mostra a que programas as pessoas estão assistindo, em tempo real. Você pode fazer um checkin em seu programa ou série de TV favorito e ainda socializar essa informação com seus amigos. Além disso, o Miso distribui badges super criativas. Tudo para agradar os amantes das telinhas.

Antes de fazer esse post, dei uma olhada no blog do Miso. O projeto foi iniciado em 2010 e preparou badges especiais para a Copa da África do Sul. Lá fora, Estados Unidos, o site já fez parcerias com reality shows e recentemente passou a ser uma companhia da Pepsico10, programa que selecionou dez startups para fazerem parte da companhia, além de receberem suporte da Highland Capital Partners e do site Mashable.

As badges que o Miso distribuiu durante a Copa da África 2010

Vejo muitas oportunidades para um site assim, principalmente relacionadas à mobilidade. O Miso tem versão para iPhone e agora também para Android. Como com ele é possível saber o que fãs de séries e programas estão assistindo e identificar possíveis influenciadores, há possibilidades para ações de marketing específicas que premiem uma audiência qualificada.

A gente sabe que nos Estados Unidos ninguém brinca em serviço, muito menos quem lida com o mundo da televisão, o Miso continua fazendo parcerias e divulgando o serviço de “geotvlocalização”. Em janeiro, o site fechou a divulgação do novo reality show da OWN – Oprah Winfrey Network, a rede de televisão da famosa apresentadora americana.

E no Brasil, será que o Miso pega? Eu acho que sim. O Twitter tem sido uma fonte inesgotável de opiniões sobre o que as pessoas assistem na TV. Como o Miso é integrado ao passarinho azul e ao Facebook, as chances de crescimento são grandes.