Arquivo da tag: E-commerce

Internet líquida – A rede centrada no consumidor

Há algum tempo, escrevi um post que falava sobre a tecnologia que permitia mudanças na estrutura dos sites, de acordo com o estilo de navegação do internauta, em tempo real, o chamado “morphing“. Recentemente, conheci a IQNOMY, uma empresa holandesa que promete levar essa tecnologia a empresas, agências e desenvolvedores.

Segundo a IQNOMY,  o objetivo é permitir que sites, especialmente os de e-commerce, se adaptem a cada visitante. A empresa batizou este conceito de “internet líquida” e pretende transformar websites em canais de negócios centrados nos clientes.

Ainda de acordo com a IQNOMY, ao contrário do que pode parecer, a implantação dessa forma de morphing ao site não demora muito. Bastam alguns ajustes para o conteúdo mais relevante começar a ser oferecido ao visitante certo, no momento certo e em tempo real.

A solução da IQNOMY se baseia no sistema S.a.a.S. Segundo a Wikipedia, o S.a.a.S é um instrumento mercadológico para fornecer um software, em forma de um serviço ou prestação de serviços.

O software é executado em um servidor, não sendo necessário instalar o sistema no computador do cliente, bastando acessá-lo por meio da internet. O sistema Google Docs, do Google, oferece esse sistema, permitindo que o usuário acesse um pacote de programas.

O fato de ajudar na transformação de sites em canais voltados ao consumidor é sem dúvida uma diferencial no serviço online. Mas, penso que não se deve esquecer que a experiência do usuário não termina no clique final para a compra. Uma logística bem montada e um serviço de atendimento preparado para lidar com consumidores, cada vez mais acostumados às redes sociais, continuam sendo fundamentais para o completo funcionamento do e-commerce ideal.

E-commerce de material escolar – Que a Força esteja com você

Hoje em dia, quando se pensa em compras com praticidade, rapidez e variedade, logo se conclui que a internet é a melhor opção. O item segurança não foi citado por razões óbvias: compras online só devem ser feitas se o site oferecer um banco de dados, com senhas criptografadas e tudo mais que possa garantir tranquilidade para o comprador. E nem todos os “sítios” são assim.

Mas, de volta ao assunto, levei em consideração todos os atrativos que o e-commerce pode proporcionar e pensei: vou comprar o material escolar da minha filha na web, claro! Terei uma grande variedade à minha disposição e ainda poderei pesquisar melhor os preços, certo? Errado!

Descobri que nos sites mais famosos não se consegue comprar somente dois lápis pretos no. 2, por exemplo, e sim, no mínimo, 12! Pra que 12 lápis, me perguntei. Também, não é possível adquirir um jogo de 24 cores. Somente se eu levar junto um outro produto. Venda casada? Que feio!

Ao final do martírio da infeliz busca por um site que me permitisse comprar item a item, ainda fui presenteado com uma pérola: o site de uma papelaria bastante tradicional solicita que o usuário digite TODA a lista de material no seu cadastro para que após algum tempo (não especificado pela empresa!!!) eles entrem em contato confirmando se todos os produtos poderão ser entregues. Genial! Principalmente pra quem tem mais de um ou dois filhos e todo o tempo do mundo!

Brincadeiras à parte, é incrível como esses sites não percebem a oportunidade que têm em mãos: satisfazer o cliente e proporcionar uma compra rápida. Quem já comprou material escolar sabe o quanto é penoso ter que passar a lista toda com o vendedor. Pois, para a minha surpresa, encontrei uma loja não-virtual que, não só me atendeu com precisão e rapidez, como já tinha uma cópia da lista da escola da minha filha, pronta, com preço e facilidades de pagamento.

Fica a dica para quem quer transformar o e-commerce: pense como o consumidor.