Arquivos da categoria: Jornalismo

To link or not to link?

Uma decisão polêmica das Organizações Globo provocou discussões em sites e redes sociais essa semana: a retirada dos links para os sites da empresa, das páginas do Facebook. Tenho uma opinião sobre isso, mas prefiro não influenciar o seu pensamento. Para ajudar você a chegar a uma conclusão, resolvi fazer um teste.

Como gosto muito dos conteúdos da revista Época Negócios, decidi usar a página da revista no Facebook para fazer esse teste. Após acessar a página no Facebook, resolvi escolher um post recente, mas que não fosse o mais recente para verificar a relação entre o que é postado no Facebook e o que é destaque no site.

Faça como Sherlock Holmes. Sim, agora temos que fazer com um detetive para encontrar o conteúdo indicado na página do Facebook.

teste epoca negocios 1
Imagem retirada da página da
Época Negócios, no Facebook (editado)

Como diz o post, “Veja em nosso site”, fui lá achar (sim, achar) a matéria no site. O mais interessante é que, antes de chegar ao conteúdo escolhido, você deve acessar o site da Época Negócios. As opções são usar o Google ou digitar (repito) digitar a URL, o endereço do site da revista.

Quanto tempo leva?

Como sou experiente em internet, não levei mais que 5 segundos para acessar o site da Época Negócios, mas imagine um usuário menos acostumado com a web, ou aquele que só acessa sites via link e nem se preocupa em digitar uma URL ou usar o Google?

Encontrando o conteúdo no site

Ok! Estamos no site. Agora, o próximo passo é achar o conteúdo relacionado à maneira Sherlock Holmes de resolver problemas. Aí, começa um fenômeno interessante: de cara, não dá pra achar o que se procura, ou seja, a matéria não está mais na home (talvez, nunca tenha estado). Como dizia um grande professor meu na faculdade, “editor é aquele que edita”.

Há novas matérias na página inicial do site. Lembra que eu disse que a Época Negócios tem ótimas matérias? Então, você começa a ler a página e vai encontrando outras coisas interessantes para ler. Lembra o conteúdo que queríamos achar, vindo do Facebook? “Te peguei”, hein!

Mas, onde está o que eu queria?

Definitivamente, não está na página inicial. Então, vamos à busca. Opa! Usando como palavra-chave na busca “Sherlock Holmes”, eu encontrei o conteúdo. Agora é só clicar e correr pro abraço. Fica aqui a dica de o site da Época Negócios ser bem tagueado, o que me permitiu encontrar a matéria. Você investe na otimização do seu site?

No total, quanto tempo foi necessário para achar a matéria?

Em média, cerca de um minuto para encontrar um simples conteúdo em um site. Redes sociais ajudam muito a entregar aquilo que se quer mais rapidamente. Na prática, elas diminuem o tempo de resposta ao consumidor. Então, por que não fazer do seu consumidor um Sherlock Holmes, sem oferecer essa facilidade a quem gosta do que você produz?

E você, o que pensa sobre isso? Acho que você já entendeu o que eu penso, né? Dê a sua opinião nos comentários ou em qualquer lugar que quiser me achar nas interwebs. Afinal, depois de te dizer tudo isso, tenho que ser o mais rápido na resposta ao seu pensamento.

Atualizando: vale dizer que no Google+ e no Twitter os links permanecem.

Jornalismo & Mídias Sociais – Livro

Se você é estudante de Comunicação e pensa em seguir a carreira jornalística, leia esse livro. Se você já é um jornalista mas quer entender melhor como é esse negócio de redes sociais, Twitter etc, leia esse livro. E se você não quer ser jornalista, mas se interessa por internet e novas mídias, leia esse livro. Jornalismo & Mídias Sociais – um novo papel além das redações é uma deliciosa compilação, que mostra com clareza tudo o que um jornalista tem que saber para poder exercer uma profissão que cada vez mais ganha novas características e quase força os profissionais a se adequar ao atropelamento de informações e conteúdos  gerados por internautas no mundo atual.

Os organizadores da obra Rafael Louzada, Eduardo “Lá vem o Leão!” Mansell e Maurício Louro formaram um time de responsa: Paulo Henrique de Oliveira Ferreira, Pollyana Ferrari, Luciano Kreuzburg-Miranda, Mirna Tonus, Mário Cavalcanti, Raphael Perret, Jaqueline Pedreira e Nino Carvalho.

O livro traz ótimas dicas e conta histórias muito interessantes. Meus queridos amigos Louza e Mansell falam sobre a importância das métricas no jornalismo online, o que muda ou não na home de um site, em função dos números obtidos em tempo real, a história das primeiras agências de notícias e o que elas têm feito para se manter nesse novo “momento Twitter” da comunicação. Já Maurício Louro traz o tema SEO de uma forma divertida e com um texto gostoso de ler.

Mário Cavalcanti dá uma aula sobre o universo mobile ressaltando a importância de se pensar em sites criados exclusivamente para os dispositivos móveis, como smartphones e tablets.

Raphael Perret e Jaqueline abordam com didatismo a questão da democracia no jornalismo online, falando sobre o conteúdo gerado pelo usuário, e da arte de se construir um site que respeita todos os aspectos da usabilidade, respectivamente.

Não dá pra fala sobre todos os capítulos em detalhes aqui, mas vale a pena ler o que Mirna Tonus escreve sobre o jornalismo hipermultimídia. E ainda temos Nino Carvalho, que fecha o livro, citando a Amazon, claro, e mostrando o impacto causado pela internet no jornalista que está chegando ao mercado e àquele que já está nele.

Enfim, Jornalismo & Mídias Sociais é um prato feito pra quem tem fome de conhecimento e não quer ser só um coadjuvante na profissão.

Você já conhece o Tumblr?

Pra quem é do meio esse título pode parecer uma afronta, eu sei. Mas, tenho observado, ainda especialmente lá fora, bons usos do Tumblr e trago nesse primeiro “post falado” do Me Emblogando a discussão sobre essa rede como ferramenta efetiva de mídias sociais no Brasil e seus possíveis usos aqui. Cllica no player aí embaixo, ouve e dê suas sugestões de Tumblrs legais,também.

Links desse minicast:

Estética
http://fuckyeahprettynails.tumblr.com/

Humor
http://ficavaiterbolo.com/

Gastronomia
http://quemcomeu.tumblr.com/

Jornalismo
http://tmagazine.tumblr.com/
http://newsweek.tumblr.com/
http://examecom.tumblr.com/

Cinema
http://makingofmovies.tumblr.com/

Quem já blogou sobre o Tumblr
Blog Mídias Sociais
Midiatismo
Blog Agência Digitown

O Tumblr também bloga
Blog do Tumblr

SEO – Você já escreve para o Google? – Final

Continuando o papo sobre o uso de técnicas de SEO em releases.

Minha querida twitamiga, Vany Laubé, primeira jornalista a manter um site de dicas de Assessoria de Imprensa e Comunicação para jornalistas e estudantes, diz que o assunto é polêmico.

Tem a ver com o jornalismo de indexação. De um lado está a maioria dos jornalistas; os “puristas”. São aqueles que têm na veia o jornalismo “de conteúdo, que acreditam que o jornalismo não se deva “vender” aos novos “ditames” impostos pela tecnologia das “palavras-chave” ou links, mas se manter pelo que realmente tem de importante – toda sua relevância envolvendo as fontes, os dois lados da moeda, o povo fala, suítes etc. A moderação feita pelo jornalista em nome da sociedade.

Do outro lado estão os que têm por missão cuidar da imagem corporativa de empresas, pessoas e entidades, como assessores de imprensa, RPs ou consultores de imagem. O jornalista Manoel Fernandes, que já fez do assunto capa de revista, é um deles – não que tenha deixado de ser jornalista, ele tem uma visão de futuro, de que o jornalismo de indexação veio com força e que lutar contra ele é lutar contra a maré.

O uso do SEO nos releases é positivo e pode alavancar bastante um lançamento, divulgar eventos, sim.

Eu, particularmente, considero que se a moeda tem dois lados é porque há horas em que é bom e positivo o uso de um deles e há hora para se dar valor ao outro lado, sim – porque sou jornalista por formação e acredito no que a turma do jornalismo lá de cima também acredita.

Se você estiver interessado em melhorar o SEO de seu site ou release, tenha em mente essas dicas:

  • Meta descriptions – não te ajudam no ranqueamento do site, mas podem ser interessantes no processo da cauda longa.
  • Crie URL’s amigáveis para os seus releases. Ajudam o Google a te enxergar mais rápido.
  • Capriche no título para que ele tenha as palavras-chaves mais importantes do seu texto.
  • Pirâmide invertida. Mantenha o seu uso. Evite o “nariz de cera”. As palavras devem se concentrar no topo, mas podem existir repetições ou variação ao longo do texto.
  • Use links no texto. Invista em link building.
  • Hospede seus releases em um blog. Ajudam  a lincá-lo melhor.

SEO – Você já escreve para o Google? – Parte 1

SEO – Você já escreve para o Google? – Parte 1

Em junho desse ano, iniciei uma pesquisa sobre os efeitos do uso de técnicas de SEO – Search Engine Optimization (busca por resultados espontâneos em ferramentas como Google, Bing e Yahoo), na produção de press releases, o chamado release 2.0 ou web release. Para me ajudar nesse trabalho, contei com a ajuda de alguns profissionais de alto gabarito, como: Paulo Rodrigo Teixeira, uma das maiores autoridades em SEO no Brasil; Ana Erthal, especialista e professora de webwriting; e da Vany Laubé, jornalista especializada em Assessoria de Imprensa.

O que pude perceber  nos papos com esses profissionais é que ainda estamos iniciando essa prática aqui no Brasil, apesar de algumas agências, como a In Press Porter Novelli já terem começado a pensar mais seriamente nessa questão. Recentemente, a convite da In Press, participei de um curso de SEO para jornalistas com Paulo Rodrigo Teixeira e pude perceber que há muitas dúvidas entre os profissionais sobre a efetividade dessas técnicas.  ”Muitos acham que o seu texto perderá a originalidade. Isso é um erro. O que muda é a inteligência de produção textual”, me disse Paulo Rodrigo.

Paulo Teixeira, fera em SEO

A jornalista Ana Erthal acredita que o release, da maneira tradicional como o conhecemos, não tem mais funcionalidade no ambiente digital. “A partir da fragmentação das mídias, da cultura de nicho, da escrita um para um, o release só faz sentido se for direcionado e personalizado. Como fazemos no twitter, sabe? Tipo: ‘Fabio, acho que você vai gostar disso. Ainda recebo muitos releases por e-mail que sequer abro. Alguns produtores de conteúdo se perdem numa introdução longa e cansativa sobre determinada empresa e seu produto e se esquecem do modelo de pirâmide invertida que usamos para o conteúdo, regra fundamental que coloca o ponto mais interessante de qualquer texto no primeiro parágrafo.

A jornalista Ana Erthal

Ana acredita que o segredo de um bom release está no primeiro parágrafo. “Todos os trabalhos de eyetracking revelam que independentemente do que esteja sendo lido na web, os olhos permanecerão focados no primeiro parágrafo, pra depois procederem à varredura nuclear da página.”

Isso me leva a pensar que a medida que a leitura fica mais fragmentada na web, é fundamental produzir textos que “peguem” o jornalista/leitor logo pelo primeiro momento. Se a informação do lead não for relevante, não vai à frente.

Continua em Você já escreve para o Google? – Parte 2